15.7 C
Canoas
terça-feira, maio 11, 2021

Ismail Kadaré: um possível Nobel

Must read

Frederico Sanchez Resende: Pandemia trouxe grandes desafios para empresas de logística

Não somente a vida das pessoas está sendo impactada pela pandemia do novo Coronavírus. Os setores da economia, incluindo o segmento de logística e...

Hiperleds: a maior fábrica de luminárias com mais de 800 itens no catálogo Completo

Há dez anos no mercado e com mais de oitocentos itens no catálogo, a Hiperleds é uma empresa que estar presente com atendimento para...

Polícia Militar realiza a operação “Grande ABC mais Seguro” na área do CPA-M6

Foi realizada em 27 de abril de 2021 uma grande Operação Policial na cidade de Santo André, área do 10ª Batalhão Metropolitano, com o...

Victor Capixaba é o novo reforço do São Caetano

O Centroavante Victor Capixaba de 28 anos, ex jogador do VilaVelhense é o novo reforço do São Caetano-SP. A equipe paulista que recentemente contratou o...

Minha viagem à Albânia foi toda coreografada pelas cenas de “Abril despedaçado”

Livreiros de Paris apostam em Kadaré como sendo o grande favorito a levar o prêmio Nobel de Literatura

De Paris, França

Conversando nesta quarta-feira com quatro livreiros de primeira – Compagnie, L´écume des pages, Librairie Pollonaise, Gibert Jeune –, e uma gerente mais evasiva na L’harmattan, da Rue des Écoles, deles todos ouvi o nome do albanês Ismail Kadaré como sendo o grande favorito a levar o prêmio Nobel de Literatura, que será anunciado nesta quinta-feira às oito horas do Brasil, 13 horas daqui.

A segunda mais votada foi Joyce Carol Oates e houve uma ou outra menção a David Grossman, o que seria uma forma indireta de homenagear Amos Oz e Aharon Appelfeld, expoentes da vibrante literatura israelense, ambos recém falecidos. Todos acharam que o japonês Murakami perdeu o bonde e ninguém citou um autor francês, talvez por pudor.

“O mais provável é que não seja nenhum desses que a gente acha que vai ser”, disse Thibault, da “L´écume”, o mais craque deles. Reiterei minha torcida por Cristóvão Tezza, o azarão brasileiro. No fundo do coração, meu favorito seria Milton Hatoum, mas os dois últimos livros (da trilogia) quebraram o encanto do autor de “Dois irmãos” – um colosso de obra. Oxalá recupere.

Há quem diga no Brasil que Nélida Piñon é quem tem maiores chances e, em se tratando da língua portuguesa, falam também do português Lobo Antunes, um autor que acho que nunca conseguirei ler. Mas aí o problema está em mim, e não nele. Se der Kadaré, fico feliz. Minha viagem à Albânia foi toda coreografada pelas cenas de “Abril despedaçado”.

Amanhã é o dia.

- Advertisement -

More articles

Latest article

Frederico Sanchez Resende: Pandemia trouxe grandes desafios para empresas de logística

Não somente a vida das pessoas está sendo impactada pela pandemia do novo Coronavírus. Os setores da economia, incluindo o segmento de logística e...

Hiperleds: a maior fábrica de luminárias com mais de 800 itens no catálogo Completo

Há dez anos no mercado e com mais de oitocentos itens no catálogo, a Hiperleds é uma empresa que estar presente com atendimento para...

Polícia Militar realiza a operação “Grande ABC mais Seguro” na área do CPA-M6

Foi realizada em 27 de abril de 2021 uma grande Operação Policial na cidade de Santo André, área do 10ª Batalhão Metropolitano, com o...

Victor Capixaba é o novo reforço do São Caetano

O Centroavante Victor Capixaba de 28 anos, ex jogador do VilaVelhense é o novo reforço do São Caetano-SP. A equipe paulista que recentemente contratou o...

Danilo Cavalcante é a aposta do Betis San Isidro da Espanha

O CD Betis San Isidro contratou o brasileiro Danilo Cavalcante de 23 anos, jovem aposta que se profissionalizou aos 18 anos no América-PE, teve...