27.8 C
Canoas
sábado, dezembro 3, 2022

Loja é acusada de racismo após colocar produtos em lacre de segurança

Must read

Elirio Dambros fala sobre prós e contras do uso de fraldas descartáveis

Que as fraldas descartáveis vieram para facilitar a vida dos pais, disso ninguém tem dúvida. No entanto, ainda se investiga os impactos causados pelo seu uso na saúde...

Olhar empático: executivo do mercado cripto investe pesado em incentivo ao esporte no país

Clélio Cabral é gerente da gestora de criptoativos Braiscompany e segue os passos do CEO da empresa, Antonio Neto Ais que também é destaque...

Reclusa após abandonar a TV, Ana Paula Arósio ressurge com novo visual

Atriz decidiu deixar a carreira há cerca de 12 anos, quando desistiu de protagonizar uma novela da TV Globo em horário nobre Longe dos holofotes...

Gleisi defende PEC da Transição para 4 anos: “Não pode ser no soluço”

O PT quer que a PEC da Transição estipule o prazo de quatro anos para o Bolsa Família ficar fora da regra do teto...

A mãe de três filhos, Natalie Westgate, ao fazer compras em uma loja com sua filha em Osterley, oeste de Londres, na Inglaterra, reparou na diferença de armazenamento dos produtos nas prateleiras. Apesar dos produtos possuírem o mesmo preço, eram expostos de maneira totalmente opostas. O hidratante para pessoas de pele escura era mantido em caixas de segurança, enquanto o para pele clara estavam exibidos de maneira ‘normal’.

Essa diferença causou a revolta de Nathalia, que disse: “ Isso é absolutamente desagradável, para não falar racista”, disse a mãe para o jornal britânico, The Sun.

“Eu entendo que vocês têm caixas de segurança para os produtos, mas acham que é ‘ok’ elas estarem apenas nos produtos para pessoas de pele escura e não em todos os da seção?”. “Por favor, consulte a rede de raça e etnia e Black Voices Advisory Group (Grupo de Vozes Negras, tradução livre) e veja o que eles pensam sobre a segurança apenas para pessoas negras, e então volte para mim”, completou.

A loja pediu para Nathalia entrar em contato com eles por mensagem direta no Twitter para resolver suas preocupações e disse que nunca foi a intenção da loja ofender ninguém na política de proteção. “Nossas lojas às vezes usam essas caixas de proteção em itens que foram roubados recentemente e muda de loja para loja”, informoi.

“Gostaríamos de garantir que as etapas que tomamos em nossas lojas para encaixotar ou etiquetar determinados itens são apenas para prevenção de perdas e nossos colegas ficarão felizes em ajudar os clientes que desejam comprar esses produtos”, justificou o estabelecimento.

O caso gerou repercussão nas redes sociais e poderá levar ao boicote de alguns clientes da loja.

- Advertisement -

More articles

Latest article

Elirio Dambros fala sobre prós e contras do uso de fraldas descartáveis

Que as fraldas descartáveis vieram para facilitar a vida dos pais, disso ninguém tem dúvida. No entanto, ainda se investiga os impactos causados pelo seu uso na saúde...

Olhar empático: executivo do mercado cripto investe pesado em incentivo ao esporte no país

Clélio Cabral é gerente da gestora de criptoativos Braiscompany e segue os passos do CEO da empresa, Antonio Neto Ais que também é destaque...

Reclusa após abandonar a TV, Ana Paula Arósio ressurge com novo visual

Atriz decidiu deixar a carreira há cerca de 12 anos, quando desistiu de protagonizar uma novela da TV Globo em horário nobre Longe dos holofotes...

Gleisi defende PEC da Transição para 4 anos: “Não pode ser no soluço”

O PT quer que a PEC da Transição estipule o prazo de quatro anos para o Bolsa Família ficar fora da regra do teto...

Pastor é preso após mentir que sócio era estuprador e encomendar a morte dele

Um pastor e policial militar aposentado, identificado como Josselice, líder de uma igreja de Goiânia (GO), foi preso nesta segunda-feira (21/11), suspeito de encomendar a morte...