16.8 C
Canoas
sábado, outubro 16, 2021

CVM multa em R$ 403 mil trader que manipulou preços do mercado financeiro

Must read

Renova Energia recebe Licença Prévia do Inema para empreendimentos eólico e solar na Bahia

Localizado no centro-oeste do Estado o projeto será composto por 14 parques eólicos que juntos somam 576 MW de potência

Renova Energia focará sua atuação na geração eólica e possui 5 GW em projetos

São Paulo, setembro de 2021 – A fonte eólica possui 19,1 GW de capacidade instalada no Brasil e todo este volume abastece quase...

Projota apaga todos os posts do Instagram e dispara: “Momento mais turbulento”

O cantor já vinha afastado das redes sociais nas últimas semanas, mas surpreendeu os fãs ao excluir todas as imagens do seu Instagram. Aos...

Chico Buarque passa por cirurgia em hospital no Rio

Foto: Reprodução/Internet Aos 77 anos, o artista passou por uma cirurgia na coluna que durou cerca de seis horas e está, no momento, em recuperação...

Rafael Damiati Ferreira Alves  foi multado por ter praticado spoofing, modalidade de fraude caracterizada pela inserção de ordens artificiais de compra e venda no livro de ofertas.

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) multou em R$ 403 mil um trader que manipulou preços do mercado financeiro. Com a prática ilegal, conhecida como spoofing, ele faturou R$ 269 mil em cerca de dois anos, de acordo com a autarquia.

A penalidade foi proferida pelo diretor relator da CVM, Gustavo Machado Gonzalez, em julgamento realizado na tarde da terça-feira (4). Na mesma sessão, o representante de uma empresa de alimentos também foi multado por fraude em demonstrativos financeiros.

Trader multado pela CVM fraudou preços 1.726 vezes

O trader Rafael Damiati foi multado por ter praticado spoofing. De acordo com a Instrução CVM nº 08/1979, essa modalidade de fraude é caracterizada pela inserção de ordens artificiais de compra e venda no livro de ofertas.

Na prática, o “golpe” consiste em fazer ofertas artificiais sem o propósito de fechar negócios, mas com a intenção de gerar falsa pressão compradora ou vendedora. Como resultado, os demais investidores são influenciados e o fraudador consegue preços mais vantajosos na hora da compra ou da venda.

Conforme o relatório da autarquia, Damiati manipulou os preços 1.726 vezes entre maio de 2015 e setembro de 2017. Por causa disso, ele faturou R$ 269 mil de maneira ilegal.

Vale lembrar que spoofing, no meio digital, também é um tipo de ataque hacker que rouba dados das pessoas. No final do ano passado, a prática foi associada a um golpe com bitcoins.

Trader que recebeu multa da CVM reconheceu erro

O processo que gerou multa ao trader teve origem em comunicado enviado à CVM pela BM&FBovespa. No documento, a Bolsa de Valores apresentou os indícios de irregularidades nas operações realizadas por ele.

Após o comunicado, a CVM decidiu instalar um processo administrativo sancionador (PAS), procedimento que visa investigar irregularidades praticadas por participantes do mercado de capitais.

O trader foi ouvido ao longo do processo. De acordo com a autarquia, ele reconheceu que realizou operações ilegais.

Prática reiterada influenciou valor da multa, diz diretor da CVM

Na decisão em que multou o trader, o diretor da CVM, Gustavo Machado Gonzalez, entendeu que a prática do profissional se enquadrou na infração administrativa prevista na Instrução CVM nº 08/1979.

“Entendo que o acusado realizou ofertas manipuladoras com lote expressivo sem nenhuma intenção de executá-las, utilizando-as apenas como mecanismo para exercer pressão sobre o processo de formação de preços dos ativos negociados, com o objetivo de alterar o spread do livro de ofertas e de induzir os outros participantes do mercado a modificarem suas ofertas”.

“O objetivo final era o de executar negócio na ponta oposta do livro de ofertas a preços mais vantajosos que aqueles disponíveis em condições de mercado nas quais a manipulação não tivesse ocorrido”, completou ele.

Ao fixar a multa, Gonzalez disse que o fato de o trader ter praticado a infração várias vezes influenciou na dosimetria do valor, estipulado em R$ 403 mil. Informou anda que a pena não foi maior porque Damiati tem bons antecedentes.

Diretor de empresa de alimentos é multado em R$ 140 mil

Da mesma forma que penalizou o trader, a CVM também multou em R$ 140 mil o diretor presidente da empresa Brazal – Brasil Alimentos S.A, Lucas Zanchetta Ribeiro. Um dos motivos para a multa foi a não elaboração das demonstrações financeiras da empresa em 2015.

Bruna Benatti, membro do Conselho de Administração da Brazal, também foi multada. De acordo com a autarquia, ela terá que pagar R$ 15 mil por falhas na convocação da assembleia geral ordinária da companhia.

- Advertisement -

More articles

Latest article

Renova Energia recebe Licença Prévia do Inema para empreendimentos eólico e solar na Bahia

Localizado no centro-oeste do Estado o projeto será composto por 14 parques eólicos que juntos somam 576 MW de potência

Renova Energia focará sua atuação na geração eólica e possui 5 GW em projetos

São Paulo, setembro de 2021 – A fonte eólica possui 19,1 GW de capacidade instalada no Brasil e todo este volume abastece quase...

Projota apaga todos os posts do Instagram e dispara: “Momento mais turbulento”

O cantor já vinha afastado das redes sociais nas últimas semanas, mas surpreendeu os fãs ao excluir todas as imagens do seu Instagram. Aos...

Chico Buarque passa por cirurgia em hospital no Rio

Foto: Reprodução/Internet Aos 77 anos, o artista passou por uma cirurgia na coluna que durou cerca de seis horas e está, no momento, em recuperação...

Lady Gaga recusou Rock in Rio, diz Roberto Medina

Após o adiamento causado pela pandemia, o Rock in Rio será realizado no ano que vem e está surpreendendo o público com os artistas...