21.6 C
Canoas
quarta-feira, novembro 30, 2022

Relação com EUA não deve retroceder mesmo com vitória democrata, diz Mourão

Must read

Elirio Dambros fala sobre prós e contras do uso de fraldas descartáveis

Que as fraldas descartáveis vieram para facilitar a vida dos pais, disso ninguém tem dúvida. No entanto, ainda se investiga os impactos causados pelo seu uso na saúde...

Olhar empático: executivo do mercado cripto investe pesado em incentivo ao esporte no país

Clélio Cabral é gerente da gestora de criptoativos Braiscompany e segue os passos do CEO da empresa, Antonio Neto Ais que também é destaque...

Reclusa após abandonar a TV, Ana Paula Arósio ressurge com novo visual

Atriz decidiu deixar a carreira há cerca de 12 anos, quando desistiu de protagonizar uma novela da TV Globo em horário nobre Longe dos holofotes...

Gleisi defende PEC da Transição para 4 anos: “Não pode ser no soluço”

O PT quer que a PEC da Transição estipule o prazo de quatro anos para o Bolsa Família ficar fora da regra do teto...

Apesar do presidente Jair Bolsonaro ter se mostrado nos últimos dias confiante na reeleição de Donald Trump nos EUA, ressaltando que a vitória do republicano seria boa para as relações comerciais e diplomáticas com o Brasil, o discurso dentro do governo é de que a cooperação entre os dois países é histórica e vai muito além do bom relacionamento que Bolsonaro afirma ter com Trump. O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que viajaria para a Amazônia com o vice-presidente Hamilton Mourão e embaixadores, vai ficar em Brasília a pedido de Bolsonaro para acompanhar para orientar possíveis conversas que podem acontecer ainda nesta quarta (4).

Mourão garante que a politica ambiental não muda por conta do processo eleitoral no país e foi irônico ao falar sobre o temor existente a alguns setores da sociedade dentro do governo da possiblidade de vitória do candidato democrata. “Parece que se Joe Biden for eleito presidente, na partir da segunda quinzena de janeiro o corpo aéreo americano vai baixar aqui, entrar na Amazônia e mudar tudo o que está acontecendo. Não é assim que vai ocorrer.”

Ao analisar a situação do pais, Mourão ressalta que, passada a eleição, será necessária uma pacificação interna. O vice-presidente ainda lembrou que a relação entre o Brasil e os EUA não deverá sofrer retrocessos. Ele explica, por exemplo, que independente da simpatia ou não que possa existir entre os governantes, a relação entre os dois países é de Estado. Mourão admite problemas, mas, segundo ele, eles podem ser resolvidos. Ele foi além: ressaltou que o governo norte-americano ainda terá que enfrentar divergências com boa parte da Europa.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin

- Advertisement -

More articles

Latest article

Elirio Dambros fala sobre prós e contras do uso de fraldas descartáveis

Que as fraldas descartáveis vieram para facilitar a vida dos pais, disso ninguém tem dúvida. No entanto, ainda se investiga os impactos causados pelo seu uso na saúde...

Olhar empático: executivo do mercado cripto investe pesado em incentivo ao esporte no país

Clélio Cabral é gerente da gestora de criptoativos Braiscompany e segue os passos do CEO da empresa, Antonio Neto Ais que também é destaque...

Reclusa após abandonar a TV, Ana Paula Arósio ressurge com novo visual

Atriz decidiu deixar a carreira há cerca de 12 anos, quando desistiu de protagonizar uma novela da TV Globo em horário nobre Longe dos holofotes...

Gleisi defende PEC da Transição para 4 anos: “Não pode ser no soluço”

O PT quer que a PEC da Transição estipule o prazo de quatro anos para o Bolsa Família ficar fora da regra do teto...

Pastor é preso após mentir que sócio era estuprador e encomendar a morte dele

Um pastor e policial militar aposentado, identificado como Josselice, líder de uma igreja de Goiânia (GO), foi preso nesta segunda-feira (21/11), suspeito de encomendar a morte...