17.9 C
Canoas
quinta-feira, agosto 18, 2022

OMS sobre aborto: “Todas as mulheres devem ter direito de escolher”

Must read

GNT cancelou série

A série Casais Inteligentes Enriquecem Juntos, baseada no best-seller de mesmo título de Gustavo Cerbasi, que tinha no elenco entre tantos Kéfera, João Vicente de...

Namorada de Seu Jorge anuncia gravidez do primeiro filho do casal

Karina Barbieri, namorada de Seu Jorge, anunciou que está grávida. No último domingo (14), a empreendedora compartilhou uma sequência de fotos celebrando o dia...

Empresa argentina low cost (preços baixos) pode operar em todo o Brasil

A Flybondi, companhia argentina de low cost, tem planos de operar voos domésticos no Brasil. A empresa já atua no país, mas apenas em...

Armando Babaioff se irrita com fake news sobre acidente

O ator Armando Babaioff, 41, fez uma dura crítica em seu Instagram sobre uma notícia que relatava que ele teria sofrido um grave acidente....

Durante a entrevista coletiva desta quarta-feira (29/6), a Organização Mundial de Saúde (OMS) reafirmou posicionamento em defesa do aborto seguro. A discussão internacional voltou à tona depois de os Estados Unidos derrubaram o direito federal ao procedimento.


“Todas as mulheres devem ter o direito de decidir quando se fala do seu corpo e da sua saúde. Ponto final. Aborto seguro é cuidado de saúde. Ele salva vidas. Restringi-lo só leva mulheres e meninas a procedimentos inseguros, que resultam em complicações a até a morte. A evidência é irrefutável”, afirma o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Ele afirma que as populações com maior impacto com a limitação do acesso ao aborto seguro são as mulheres pobres de comunidades marginalizadas. A cientista-chefe da entidade, Soumya Swaminathan, diz que negar o acesso à interrupção da gravidez em serviços de saúde é como dificultar que uma pessoa receba um remédio que pode salvar sua vida.

“A falta de acesso não reduz o número de abortos. Se a mulher precisar, ela vai procurar como resolver. Vamos começar a ver o aumento da mortalidade e morbidade com essa decisão”, criticou a cientista.

O diretor-geral da OMS diz que a população mundial simplifica demais ao dizer que é apenas um direito de escolha. Além disso, ele afirma que é uma decisão sobre a vida e o futuro da mulher, e que não é uma opinião, é um fato comprovado por pesquisa científicas irrefutáveis.

Ghebreyesus afirmou estar preocupado com o impacto global da decisão norte-americana, e a considera um retrocesso. “Não esperávamos que essa mudança viesse dos EUA. Esperávamos que eles liderassem nesse assunto. Nos últimos 40 anos, a tendência global para mulheres é aumentar o acesso ao aborto seguro. A decisão da última semana foi um passo atrás, e nunca foi tão importante que a sociedade se una para proteger o direito da mulher de passar por um aborto seguro, em qualquer lugar”, conclui.

- Advertisement -

More articles

Latest article

GNT cancelou série

A série Casais Inteligentes Enriquecem Juntos, baseada no best-seller de mesmo título de Gustavo Cerbasi, que tinha no elenco entre tantos Kéfera, João Vicente de...

Namorada de Seu Jorge anuncia gravidez do primeiro filho do casal

Karina Barbieri, namorada de Seu Jorge, anunciou que está grávida. No último domingo (14), a empreendedora compartilhou uma sequência de fotos celebrando o dia...

Empresa argentina low cost (preços baixos) pode operar em todo o Brasil

A Flybondi, companhia argentina de low cost, tem planos de operar voos domésticos no Brasil. A empresa já atua no país, mas apenas em...

Armando Babaioff se irrita com fake news sobre acidente

O ator Armando Babaioff, 41, fez uma dura crítica em seu Instagram sobre uma notícia que relatava que ele teria sofrido um grave acidente....

Ex-marido de Britney Spears é condenado a dois meses de prisão após perseguição

Após ter invadido o casamento de Britney Spears e Sam Asghari, em junho, Jason Alexander, segundo ex-marido da cantora, foi condenado na última semana...