20.1 C
Canoas
quarta-feira, maio 25, 2022

Nobel de Economia destaca trabalhos em novos formatos de leilões

Must read

STJ: Arma branca pode fundamentar majoração da pena-base

Colegiado determinou que, embora não configure mais causa de aumento para o crime de roubo, o emprego de arma branca poderá ser...

Governo admite pagamento de seguro-desemprego a mortos e culpa sistema

O Ministério do Trabalho e da Previdência admitiu que pode ter pagado seguro-desemprego a pessoas que já morreram. A pasta explica...

Mulher acusa pastor durante o culto: “Tinha 16 anos quando você tirou minha virgindade”

No último domingo (22), na cidade norte-americana de Warsaw, no Estado de Indiana, o reverendo John Lowe II disse que tinha uma...

Prefeitura de Canoas elimina 245 criadouros de Aedes aegypti em abril

A equipe de vigilância sanitária de Canoas segue combatendo o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Apenas no mês de abril, foram...

Prêmio deste ano vai para Paul Milgrom e Robert Wilson

Uma das descobertas de Milfrom e Wilson é que a oferta feita de forma racional tende a ser abaixo da melhor estimativa sobre o valor comum

Os norte-americanos Paul Milgrom, de 72 anos, e Robert Wilson, de 83 anos, professores na Universidade Stanford, foram premiados nesta segunda-feira (12) com o Nobel de Economia por trabalhos na melhoria da teoria e invenções de novos formatos de leilões. “Os vencedores deste ano estudaram como funcionam os leilões. Eles também usaram seus insights para criar um novo leilão e formatos para bens e serviços que são difíceis de vender de uma forma tradicional, como frequências de rádio. Suas descobertas beneficiaram vendedores, compradores e contribuintes de todo o mundo. Os leilões estão por toda a parte e afetam o nosso dia a dia”, revelou a Real Academia de Ciências da Suécia.

Uma das descobertas de Milfrom e Wilson é que a oferta feita de forma racional tende a ser abaixo da melhor estimativa sobre o valor comum por causa da preocupação com a chamada “maldição do vencedor”, ou seja, pagar em excesso e, por isso, ter prejuízo. Os economistas criaram formatos para vender itens inter-relacionados simultaneamente. Em 1994, as autoridades dos EUA usaram um de seus projetos de leilão para vender frequências de rádio a operadoras de telecomunicações, um movimento desde então copiado em outros países. Além disso, trabalharam nos mecanismos de alocação de slots de pouso em aeroportos.

Wilson mostrou, entre outras coisas, que participantes racionais em um leilão tendem a dar lances menores por medo de pagar demais. Milgrom formulou uma teoria mais geral dos leilões, que mostra, entre outras coisas, que um leilão gera preços mais altos quando os compradores obtêm informações sobre os lances planejados por outros licitantes durante o processo de licitação.

- Advertisement -

More articles

Latest article

STJ: Arma branca pode fundamentar majoração da pena-base

Colegiado determinou que, embora não configure mais causa de aumento para o crime de roubo, o emprego de arma branca poderá ser...

Governo admite pagamento de seguro-desemprego a mortos e culpa sistema

O Ministério do Trabalho e da Previdência admitiu que pode ter pagado seguro-desemprego a pessoas que já morreram. A pasta explica...

Mulher acusa pastor durante o culto: “Tinha 16 anos quando você tirou minha virgindade”

No último domingo (22), na cidade norte-americana de Warsaw, no Estado de Indiana, o reverendo John Lowe II disse que tinha uma...

Prefeitura de Canoas elimina 245 criadouros de Aedes aegypti em abril

A equipe de vigilância sanitária de Canoas segue combatendo o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Apenas no mês de abril, foram...

Influencer Jesse Koz e seu cachorro morrem em acidente de carro nos EUA

O influencer Jesse Kozechen, o Jesse Koz, conhecido nas redes sociais por viajar o mundo com seu cachorro, Shurastey, em um Fusca 1978, morreu na última...