27.8 C
Canoas
sábado, dezembro 3, 2022

Euro passa a valer menos que 1 dólar pela primeira vez em 20 anos

Must read

Elirio Dambros fala sobre prós e contras do uso de fraldas descartáveis

Que as fraldas descartáveis vieram para facilitar a vida dos pais, disso ninguém tem dúvida. No entanto, ainda se investiga os impactos causados pelo seu uso na saúde...

Olhar empático: executivo do mercado cripto investe pesado em incentivo ao esporte no país

Clélio Cabral é gerente da gestora de criptoativos Braiscompany e segue os passos do CEO da empresa, Antonio Neto Ais que também é destaque...

Reclusa após abandonar a TV, Ana Paula Arósio ressurge com novo visual

Atriz decidiu deixar a carreira há cerca de 12 anos, quando desistiu de protagonizar uma novela da TV Globo em horário nobre Longe dos holofotes...

Gleisi defende PEC da Transição para 4 anos: “Não pode ser no soluço”

O PT quer que a PEC da Transição estipule o prazo de quatro anos para o Bolsa Família ficar fora da regra do teto...

Em movimento de desvalorização, o euro chegou a valer menos que um dólar pela primeira vez em duas décadas nesta quarta-feira (13/7), depois do anúncio de inflação recorde nos Estados Unidos.

Por volta das 10h (horário de Brasília), a moeda europeia foi negociada a 0,998 dólar, nível mais baixo desde dezembro de 2002.

Após oscilar em queda, o índice retornou à paridade, segundo dados da Reuters. A moeda única da União Europeia caiu 0,4% nesta quarta, e soma um tombo superior a 10% este ano.

Operadores de câmbio lidam com um cenário marcado pelo aumento dos temores de uma recessão econômica na Europa — impulsionada por altos índices inflacionários e a possibilidade de uma crise energética ocasionada pela suspensão do fornecimento de gás russo.

Em contrapartida, a moeda dos EUA segue em alta por conta das expectativas de que o banco central dos Estados Unidos, o Federal Reserve (Fed), permaneça agressivo ao dar continuidade à elevação das taxas de juros, encorajando investidores a se refugiarem na moeda.

Inflação nos EUA

A inflação dos Estados Unidos subiu para 9,1% no acumulado de 12 meses encerrado em junho de 2022, segundo dados do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) divulgados nesta quarta-feira (13/7).

Superando as expectativas de mercado — que apontavam uma alta de 8,8% — o dado acumulado dos últimos 12 meses atingiu o maior nível em mais de 4 décadas. Em comparação com o mês de maio, a alta foi de 1,3%, índice também maior do que o estimado.

Assim como no mês anterior, a inflação de junho sofreu forte influência do aumento de preços nos alimentos e combustíveis. Em junho, o preço médio do galão da gasolina nos Estados Unidos atingiu 5 dólares pela primeira vez na história.

- Advertisement -

More articles

Latest article

Elirio Dambros fala sobre prós e contras do uso de fraldas descartáveis

Que as fraldas descartáveis vieram para facilitar a vida dos pais, disso ninguém tem dúvida. No entanto, ainda se investiga os impactos causados pelo seu uso na saúde...

Olhar empático: executivo do mercado cripto investe pesado em incentivo ao esporte no país

Clélio Cabral é gerente da gestora de criptoativos Braiscompany e segue os passos do CEO da empresa, Antonio Neto Ais que também é destaque...

Reclusa após abandonar a TV, Ana Paula Arósio ressurge com novo visual

Atriz decidiu deixar a carreira há cerca de 12 anos, quando desistiu de protagonizar uma novela da TV Globo em horário nobre Longe dos holofotes...

Gleisi defende PEC da Transição para 4 anos: “Não pode ser no soluço”

O PT quer que a PEC da Transição estipule o prazo de quatro anos para o Bolsa Família ficar fora da regra do teto...

Pastor é preso após mentir que sócio era estuprador e encomendar a morte dele

Um pastor e policial militar aposentado, identificado como Josselice, líder de uma igreja de Goiânia (GO), foi preso nesta segunda-feira (21/11), suspeito de encomendar a morte...