19.9 C
Canoas
terça-feira, novembro 29, 2022

Cirurgião Marcelo Heidrich fala sobre Doença do Refluxo Gastro Esôfago (DRGE)

Must read

Olhar empático: executivo do mercado cripto investe pesado em incentivo ao esporte no país

Clélio Cabral é gerente da gestora de criptoativos Braiscompany e segue os passos do CEO da empresa, Antonio Neto Ais que também é destaque...

Reclusa após abandonar a TV, Ana Paula Arósio ressurge com novo visual

Atriz decidiu deixar a carreira há cerca de 12 anos, quando desistiu de protagonizar uma novela da TV Globo em horário nobre Longe dos holofotes...

Gleisi defende PEC da Transição para 4 anos: “Não pode ser no soluço”

O PT quer que a PEC da Transição estipule o prazo de quatro anos para o Bolsa Família ficar fora da regra do teto...

Pastor é preso após mentir que sócio era estuprador e encomendar a morte dele

Um pastor e policial militar aposentado, identificado como Josselice, líder de uma igreja de Goiânia (GO), foi preso nesta segunda-feira (21/11), suspeito de encomendar a morte...

A Doença do Refluxo Gastro Esôfago (DRGE) é uma patologia que tem como característica o retorno do conteúdo gástrico para o esôfago. Conforme explica o cirurgião geral Marcelo Marcos Heidrich, o problema é que a mucosa do esôfago não está preparada para receber estas substâncias ácidas e irritantes, por isso, ocasiona diversos sintomas.

“Soluços, arrotos e náuseas após comer são bastante comuns, podendo, ainda, provocar tosse seca e dor torácica. Além de atingir a laringe e o esôfago, o refluxo também pode causar problemas dentários”, esclarece Marcelo Heidrich, destacando que pessoas com sobrepeso ou obesos, fumantes e mulheres grávidas são mais propensas a apresentar DRGE.

Marcelo Heidrich chama atenção para o fato de que a dor provocada pela DRGE pode ser confundida com infarto. “No caso de os sintomas virem acompanhados de náuseas, vômitos, tonturas, dor no braço esquerdo ou mandíbula, é indicado procurar um serviço médico com urgência, pois pode ser um infarto cardíaco”, adverte. 

Ainda segundo Marcelo Heidrich, uma das causas da doença do refluxo é a alteração no esfíncter, que separa o esôfago do estômago, e deveria funcionar como uma barreira para impedir o retorno dos alimentos. Outra causa é a hérnia de hiato, que é o deslocamento do estômago da cavidade abdominal para a cavidade torácica. 

No entanto, o cirurgião chama a atenção para o fato de que a ingestão de determinados alimentos também pode ocasionar a DRGE. “Alta ingestão de café, chocolate, alimentos condimentados e álcool pode levar à fragilidade das estruturas musculares da região. Da mesma forma, o consumo de alimentos picantes ao longo de muitos anos pode levar à diminuição da contratibilidade do estômago, fazendo com ele permaneça distendido, e forçando sua subida para o tórax”, explica o cirurgião Marcelo Marcos Heidrich.

Considerado um problema comum pelos especialistas, a DRGE afeta cerca de 20% da população brasileira. Quando diagnosticada e tratada precocemente, é possível ter qualidade de vida e bem-estar.

Entre os principais sintomas da Doença do Refluxo Gastro Esôfago, segundo Marcelo Heidrich, estão a azia, caracterizada por uma sensação de queimação na região do esôfago; dor torácica, confundida muitas vezes como angina ou mesmo infarto; dor abdominal superior no peito; regurgitação de líquido azedo ou alimentos; dificuldade para engolir; sensação de um nó na garganta e até mesmo doenças pulmonares de repetição, como pneumonias, asma e bronquite.

De acordo com o cirurgião, exames endoscopia digestiva alta e PHmetria são suficientes para diagnosticar a DRGE. Já o tratamento pode ser clínico ou cirúrgico. “A cirurgia é indicada para os casos de hérnia de hiato e para pacientes que têm refluxo de repetição, o qual provoca esofagite grave”, esclarece Marcelo Marcos Heidrich.

O tratamento clínico, por sua vez, envolve a inclusão de medicamentos que diminuem a produção de ácido pelo estômago, favorecendo o esvaziamento gástrico. No entanto, o cirurgião Marcelo Heidrich alerta para outros cuidados essenciais para a diminuição dos sintomas. “Geralmente há indicação de dieta para pacientes que precisam perder peso. Evitar comidas gordurosas e bebidas como cafeína e álcool também melhoram o quadro clínico. Outra indicação importante é fracionar a dieta e aguardar pelo menos três horas antes de deitar”, orienta o médico.

- Advertisement -

More articles

Latest article

Olhar empático: executivo do mercado cripto investe pesado em incentivo ao esporte no país

Clélio Cabral é gerente da gestora de criptoativos Braiscompany e segue os passos do CEO da empresa, Antonio Neto Ais que também é destaque...

Reclusa após abandonar a TV, Ana Paula Arósio ressurge com novo visual

Atriz decidiu deixar a carreira há cerca de 12 anos, quando desistiu de protagonizar uma novela da TV Globo em horário nobre Longe dos holofotes...

Gleisi defende PEC da Transição para 4 anos: “Não pode ser no soluço”

O PT quer que a PEC da Transição estipule o prazo de quatro anos para o Bolsa Família ficar fora da regra do teto...

Pastor é preso após mentir que sócio era estuprador e encomendar a morte dele

Um pastor e policial militar aposentado, identificado como Josselice, líder de uma igreja de Goiânia (GO), foi preso nesta segunda-feira (21/11), suspeito de encomendar a morte...

Médica Paula Delai fala sobre Síndrome de Burnout em atletas

A síndrome de burnout é uma alteração de cunho psicológico, que está associado á exaustão física e mental intensa, decorrente de estresse emocional em...