20.1 C
Canoas
quarta-feira, maio 25, 2022

Cabo eleitoral é morta com 15 tiros no Rio de Janeiro

Must read

STJ: Arma branca pode fundamentar majoração da pena-base

Colegiado determinou que, embora não configure mais causa de aumento para o crime de roubo, o emprego de arma branca poderá ser...

Governo admite pagamento de seguro-desemprego a mortos e culpa sistema

O Ministério do Trabalho e da Previdência admitiu que pode ter pagado seguro-desemprego a pessoas que já morreram. A pasta explica...

Mulher acusa pastor durante o culto: “Tinha 16 anos quando você tirou minha virgindade”

No último domingo (22), na cidade norte-americana de Warsaw, no Estado de Indiana, o reverendo John Lowe II disse que tinha uma...

Prefeitura de Canoas elimina 245 criadouros de Aedes aegypti em abril

A equipe de vigilância sanitária de Canoas segue combatendo o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Apenas no mês de abril, foram...

Mais um crime político-eleitoral aconteceu no Rio de Janeiro nesta sexta-feira (30) e novamente na Baixada Fluminense. A cabo eleitoral Renata Castro que fazia campanha para Renato Cozzolino, ex-prefeito e candidato em Magé. Ela foi assassinada na porta de casa com cerca de 15 tiros. Segundo testemunhas, homens armados estavam em um carro branco e já chegaram atirando sem dar chances de defesa. Esse veículo, inclusive, foi encontrado abandonado logo após o crime.

Renata não só fazia campanha para Renato Cozzolino, de uma família tradicional na política de Magé, mas também contra o atual prefeito Rafael Tubarão. Fiscalizava o trabalho dele e usava as redes sociais para denunciar problemas e deficiências na cidade. Ela, inclusive, esteve recentemente na Polícia Federal prestando queixa. Em uma postagem horas antes de ser assassinada, Renata publicou um vídeo dizendo que vinha sofrendo ameaças do vereador Clerverson Vidal.

A Divisão de Homicídios da Baixada e a Polícia Federal já estão investigando esse assassinato. Ela deixou duas filhas, uma delas fazia aniversário no dia do assassinato. Agora já são três crimes político-eleitoral no Rio de Janeiro apenas neste ano, todos na Baixada Fluminense. No último dia 11 de outubro, Domingos Barbosa Cabral foi assassinado em Nova Iguaçu. No mesmo município, Mauro Rocha foi morto a tiros. Eles eram candidatos à Câmara Municipal da região.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga

- Advertisement -

More articles

Latest article

STJ: Arma branca pode fundamentar majoração da pena-base

Colegiado determinou que, embora não configure mais causa de aumento para o crime de roubo, o emprego de arma branca poderá ser...

Governo admite pagamento de seguro-desemprego a mortos e culpa sistema

O Ministério do Trabalho e da Previdência admitiu que pode ter pagado seguro-desemprego a pessoas que já morreram. A pasta explica...

Mulher acusa pastor durante o culto: “Tinha 16 anos quando você tirou minha virgindade”

No último domingo (22), na cidade norte-americana de Warsaw, no Estado de Indiana, o reverendo John Lowe II disse que tinha uma...

Prefeitura de Canoas elimina 245 criadouros de Aedes aegypti em abril

A equipe de vigilância sanitária de Canoas segue combatendo o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Apenas no mês de abril, foram...

Influencer Jesse Koz e seu cachorro morrem em acidente de carro nos EUA

O influencer Jesse Kozechen, o Jesse Koz, conhecido nas redes sociais por viajar o mundo com seu cachorro, Shurastey, em um Fusca 1978, morreu na última...